03/12/2018

Operação mira organização criminosa no setor de combustíveis do ES

Uma operação para desarticular uma organização criminosa no setor de combustíveis do Espírito Santo foi deflagrada na manhã desta segunda-feira (03) pelo Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção (Nuroc) em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES).

Até o momento, 14 pessoas foram presas na operação, que visa a desarticular uma organização criminosa no setor de combustíveis. Segundo as investigações, o grupo tinha atuação voltada na fabricação clandestina, distribuição ilegal e comercialização de combustível adulterado, além de fraudes de ordem fiscal, o que gerou excessivos prejuízos aos cofres públicos e aos consumidores que compravam esse combustível sem saber.

A operação consiste no cumprimento simultâneo de 17 mandados de prisão preventiva, oito mandados de prisão temporária e 45 mandados de busca e apreensão nos Estados do Espírito Santo e de São Paulo, expedidos pela 5ª Vara Criminal da Serra/ES, além da efetivação do bloqueio de bens e ativos produto dos crimes investigados.

A operação, batizada de “Lídima”, conta com o apoio do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES (NI-AMMP), da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Polícias Civis dos Estados de São Paulo e Espírito Santo, bem como da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz-ES) e Receita Federal do Brasil.

Participam da operação no Estado quatro delegados capixabas, cinco promotores de Justiça do Gaeco, 84 policiais civis capixabas, oito peritos oficiais criminais, 23 policiais militares da Assessoria Militar do MPES, 16 policiais militares com viaturas caracterizadas das unidades da PM. A ação também conta com oito fiscais da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), 28 auditores da Sefaz-ES e 07 profissionais da Receita Federal, além de equipes da Polícia Civil do Estado de São Paulo que nesse momento se dedicam às buscas naquele Estado.

 

Fonte: Gazeta Online